Mudanças na própria residência ou na casa de praia ou campo podem ser pautadas pelo cronograma inverso

Heloisa Yamashiro

Se você for à rua e fazer uma enquete sobre a necessidade da reforma da casa ou mesmo nas residências de campo ou na praia, muito provavelmente a maioria das pessoas vai reconhecer que a casa precisa de reparos.

A reforma muitas vezes pode esbarrar na falta de dinheiro, afinal a crise econômica e da falta de emprego está aí e não se pode negá-la. No entanto, em alguns casos, a reforma carece de um fator igualmente importante que é a falta de planejamento. É aí que entra a ideia do cronograma invertido.

Você pode dar início à sua residência ou na casa de praia ou campo com algumas perguntas aparentemente simples. Por exemplo:

• Você tem alguma data importante para desejar que aquela reforma esteja pronta como Natal, aniversário?
• Você vai usar a casa de praia no verão?
• Quando pretende estar lá de fato?
• E a casa de campo?
• Em que período do ano você imagina que estará por lá?

De posse das respostas às perguntas acima será possível executar o que chamamos na Ty.me de cronograma inverso e, sim, ter uma experiência bem mais favorável.

“Usualmente, quando o cliente opta em executar a obra sozinho, o prazo começa a contar principalmente na entrada do empreiteiro. E, muitas vezes, o mestre de obras ou pedreiro que dá as cartas do jogo solicitando os demais fornecedores. Ou seja: contabilizando deste serviço para frente.

O cronograma inverso funciona diferente e tem sido de muito mais efeito, pois primeiramente obriga você ao planejamento: você decide que quer inaugurar seu apartamento no Natal. Tenha em planilhas todos os serviços necessários como empreiteiro, marcenaria, pintura, gesso, etc. É um trabalho de organização mesmo, para não chegar em dezembro e querer a reforma para o Natal”, explicou Heloisa Yamashiro, proprietária da Ty.me Arquitetura e Interiores.

Contato:
Ty.me Arquitetura
WhatsApp (11) 976-534-935
https://www.tyme.arq.br/