Arquiteto Pietro Terlizzi orienta para o envidraçamento de varandas, espaço muito usado para aumentar a área social dos apartamentos, o fechamento com vidro da sacada deve respeitar as regras do condomínio e atender aos padrões da ABNT

Pietro Terlizzi

A metragem das varandas tem se tornado maior em edifícios novos, se comparada ao tamanho dos outros ambientes do apartamento. “Não por acaso o envidraçamento tem crescido tanto nos últimos anos, pois possibilita aumentar a área interna do imóvel”, conta o arquiteto Pietro Terlizzi, do escritório Pietro Terlizzi Arquitetura.

Além da possibilidade de ampliar a área social, o fechamento da sacada reforça a barreira contra intempéries e também o isolamento acústico do apartamento. “Quando fechadas, as lâminas de vidro protegem as sacadas de vento e chuva e diminuem o ruído da rua”, explica Pietro.

Antes de contratar uma empresa para envidraçar a varanda, é preciso conhecer as regras definidas pelo condomínio e a norma da ABNT específica para os sistemas de fechamento.

Regras e normas – O fechamento com vidro deve seguir as diretrizes estabelecidas pelo condomínio, que são aprovadas em assembleia pelos moradores. As regras podem definir, por exemplo, desde o tipo de sistema de envidraçamento e de rede de segurança até o modelo e a cor da cortina, com o intuito de manter um padrão na fachada do edifício.

Em um projeto de loft na Faria Lima, por exemplo, o sistema de envidraçamento definido pelo condomínio tinha que vencer os 12 m de extensão da varanda. Por isso, Pietro preferiu dividir a movimentação dos painéis de vidro em dois sentidos. “Metade desliza para a esquerda e a outra metade segue para a direita. Assim, o emparelhamento das lâminas abertas não cria um volume muito grande que possa atrapalhar o uso do ambiente.”

O sistema, por sua vez, deve respeitar a NBR 16259, publicada em 2014 pela Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT). Ela estabelece critérios técnicos e de segurança para avaliar o sistema como um todo, independente do tipo de abertura – que pode ser deslizante, pivotante ou misto. O conjunto precisa ser aprovado nos testes de resistência à corrosão, esforços repetitivos, pressão do vento e impactos.

Além disso, antes do início da obra a empresa responsável pelo fornecimento do sistema deve emitir o Registro de Responsabilidade Técnica (RRT) ou Anotação de Responsabilidade Técnica (ART).

Sistemas mais adotados e tipos de vidro – Para contratar o serviço de fechamento de varanda, também é importante conhecer os tipos de instalação e de vidro.

• O fechamento do piso ao teto é o mais usado no Brasil. A versão é instalada sobre a mureta existente do apartamento ou para dentro do guarda-corpo e não exige o laudo de integridade e resistência deste último.

• O sistema de envidraçamento sobre o guarda-corpo também é um dos mais adotados. Composto por perfis e painéis de vidro, ele é fixado no guarda-corpo e na viga. Porém, essa alternativa depende de um laudo do próprio guarda-corpo.

• Em relação ao vidro, o laminado é o tipo mais indicado por empresas de envidraçamento. Ele é feito de duas chapas unidas por um elemento entre elas (polímero, EVA ou resina), evitando que os cacos se desgrudem em caso de rompimento.

• Já o vidro temperado pode ser usado em envidraçamentos, mas não é o preferido dos especialistas. Isso porque, ao quebrar, o painel fragmenta-se em pedaços que poderiam cair para fora da varanda e oferecer riscos ao condomínio.

• É recomendada uma revisão anual, para verificar todo o sistema e substituir componentes, se necessário. “Por isso é fundamental contratar uma empresa idônea, que preste a assistência correta também na etapa de manutenção”, aconselha o arquiteto.

Contato:
Pietro Terlizzi Arquitetura e Design
(11) 2337-4902
http://pietroterlizzi.com.br